precipitação

Comentários
“ESPEREI com paciência no SENHOR, e Ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor. Tirou-me de um lago horrível, de um charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos; e pôs um cântico novo na minha boca. Muitos verão, e temerão, e confiarão no Senhor” (Salmos 40:1-3).
A precipitação é um mal que faz com que o ser humano aja fora de tempo e longe dos propósitos do SENHOR. Ela é resultado da ansiedade, da ignorância e do desespero humanos e provoca consequências dolorosas e terríveis.
Em nenhum momento, DEUS nos manda tomar atitudes por nós mesmos, precipitarmo-nos. Ao contrário, a ordem dos Céus é esperar no SENHOR com paciência.
Na Bíblia, há textos indispensáveis que abordam a questão do ESPERAR NO SENHOR:
“E quanto ao que disseste, que o não verás, juízo há perante Ele; por isso, espera nEle” (Jó 35:14);
“Espera no SENHOR, anima-te, e Ele fortalecerá o teu coração. Espera, pois, no SENHOR” (Salmos 27:14);
“A nossa alma espera no SENHOR; Ele é o nosso auxílio e o nosso escudo” (Salmos 33:20);
“Descansa no SENHOR e espera nEle (…)” (Salmos 37:7);
“Espera no SENHOR e guarda o seu caminho, e te exaltará para herdares a terra; tu o verás quando os ímpios forem desarraigados” (Salmos 37:34);
“Por que estás abatida, ó minha alma,  e por que te perturbas em mim? Espera em DEUS, pois ainda o louvarei na salvação da sua presença” (Salmos 42:5);
“A minha alma espera somente em DEUS; dEle vem a minha salvação” (Salmos 62:1);
“Não digas: vingar-me-ei do mal. Espera pelo SENHOR e Ele te livrará” (Provérbios 20:22);
“O amor tudo sofre, tudo crê, tudo ESPERA, tudo suporta” (1 Coríntios 13:7).
E tantos outros textos preciosos, impregnados de sabedoria divina.
O não esperar em DEUS, o agir do SENHOR, gera destruição espiritual. Precipitamo-nos quando iniciamos um relacionamento com alguém, sem ainda termos a confirmação de DEUS; ou mesmo quando escolhemos uma pessoa e decidimos nos casar com ela sem ter a certeza de que é algo que vem do coração de DEUS. Muitas pessoas se precipitam quando sofrem alguma decepção no casamento (e é muito natural nos decepcionarmos com o outro), e decidem se separar, viver livre do compromisso que foi feito na aliança do casamento. Precipitam-se também e tristemente quando decidem se relacionar com uma nova pessoa, achando que serão felizes (e mesmo que fossem, o objetivo do cristão não é esse, mas agradar a DEUS, obedecer a Sua Palavra).
Ah, quantos hoje estão colhendo os frutos da precipitação? Quantos hoje estão com a vida enrolada, emaranhada no pecado, longe de DEUS e sem salvação, porque se precipitaram e agora se veem incapazes e sem coragem de se desfazerem de todo o mal, porque ele se tornou gigante demais? Está desesperado (a)? Ore e espere! O momento do desespero é o pior para se tomar alguma atitude.
Imagine uma pessoa que se casou pela primeira vez com outra, achando que encontrara o príncipe encantado, o homem perfeito. Com um tempo, veio a decepção: esse homem, que se dizia cristão, passou a ser um homem violento, agressivo. Sem orientação de ninguém, machucada, ferida, desesperada, essa esposa decide então… SE SEPARAR DELE. Com a separação veio o divórcio e, consequentemente, um novo relacionamento, um novo “casamento” civil. Anos se passaram e o que era para ser bom, novamente transforma-se em tristeza, em decepção. Todo mal tem uma origem, que é a desobediência a DEUS, respaldada na precipitação humana.
As lideranças não ensinam ninguém a ESPERAR pelo tempo de DEUS, nem mesmo a se desfazer do mal com o qual está envolvido. É por isso também que poucas pessoas buscam a restauração de uma família. Guardam ressentimento, imagens negativas do passado no coração; vivem presas, sem perceberem, ao passado. Creem em um DEUS que pode tudo, menos restaurar o que estava perdido no casamento. Creem que DEUS pode libertar um presidiário (daí saem em grupos para evangelizar as pessoas encarceradas nesses lugares), mas não creem que DEUS pode e vai transformar um mau marido ou uma péssima esposa em uma pessoa temente a ELE, recuperada, transformada. Geralmente, há pessoas em segundo casamento civil “evangelizando” esses presos, que, um dia, também se precipitaram na vida para cometerem algum mal. Ou seja, é um precipitado, disfarçado de cristão, (também encarcerado no pecado do segundo casamento civil) tentando evangelizar outro precipitado e encarcerado. É essa a realidade do povo que se diz de DEUS. Essa triste realidade…
Na verdade, JESUS é SENHOR dessas vidas só de fachada; de boca para fora. Porque quando JESUS é, de fato, o nosso SENHOR, deixamos que ELE aja em nosso lugar, domine sobre nós. Quem tem a CRISTO como SENHOR não se precipita; mas espera, aguarda o tempo que for necessário. E quem se precipitou no passado, e hoje vive no erro mas, ao mesmo tempo, deseja viver para CRISTO, precisa igualmente se desfazer da precipitação para que DEUS possa consertar toda a sua vida. Essa é a doutrina correta, a doutrina de DEUS, de JESUS e dos apóstolos.
Não seja mais uma vítima da precipitação, da ansiedade. Lance para DEUS as tuas ansiedades e dilemas, conte para ELE os teus problemas e ESPERE com paciência NELE. Não se apresse em agir, em tomar atitudes. Antes, ore muito, espere pela resposta de DEUS para sua vida. E outra: mesmo que DEUS não quisesse mais restaurar o seu casamento, nada te daria o direito de você se oferecer para outro homem ou mulher (DEUS não te liberou ainda para isso). O fim de um casamento é a morte de um dos cônjuges, como bem escreveu o apóstolo Paulo em Romanos 7:2-3 e 1 Coríntios 7:39. Se DEUS não quer mais o casamento, ELE virá com providência. O correto então é esperar; e não se precipitar. Afinal, não conhecemos um DEUS que trabalha em favor daqueles que se precipitam, mas “desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com olhos se viu um Deus, além de Ti, que trabalha para aquele que NELE ESPERA” (Isaías 64:4).
Estás esperando que o tempo do SENHOR se cumpra em sua vida? Fizeste a melhor escolha, escolhestes a melhor porção. Ele é por Ti, meu irmão e minha irmã, e virá com resposta em sua vida.
Que perseveremos em agradar o SENHOR! Esse é o desejo dos justos e dos santos.
FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

back to top