Escravos do Tempo

Comentários

Somos escravos do tempo. Passamos o dia pensando no que temos de fazer e nas tarefas agendadas para o dia seguinte.

Vivemos com pressa. Aparentemente estamos sempre atrasados para o próximo compromisso. Andamos correndo em busca de tempo, mais tempo, esbaforidos.

Temos agendas lotadas. Mil coisas para fazer no dia, na semana, no mês. Vivemos para elas e, ao percebermos o findar de mais um mês, ficamos chocados.

Escravos do tempo. Das tarefas e do relógio. Quando vamos deixar de viver em função do amanhã?

Triste é ver até crianças, contaminadas pelos adultos, vivendo nessa paranoia. Não têm tempo. Não têm tempo de estudar, de fazer a lição da escola, de fazer a “lição” da igreja, de ler a Bíblia, de curtir a companhia dos pais, de se relacionar com eles, de se relacionar com Deus, de orar... Crianças sem tempo.

E enquanto o tempo corre no relógio, esquecemos que as coisas que para trás ficam, para trás ficam, sejam elas quais forem: os momentos com a família e os amigos, os momentos com Deus e na presença de Deus, o relacionamento com o Espírito, o crescer em Sua Palavra, em conhecê-lO...

Cegados pela correria do mundo, vivemos para cumprir as tarefas que ele nos impõe. Ficamos preocupados com as coisas passageiras desta terra, em juntar tesouros nela, em construir castelos, e esquecemos que nossa morada eterna é no céu.

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam” (Mt 6:19-20).

Quais têm sido nossas prioridades? O que temos posto como prioridade para nossos filhos, nossas crianças?

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom” (Mt 6:24).

A que temos nos dedicado? A a quem temos desprezado?

“Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal” (Mt 6:33-34).

back to top