O Poder de suas palavras

Comentários

DEUS criou o universo, os céus, a terra e 
tudo o que há nela; criou também o mundo 
espiritual, estabelecendo todas as leis e 
princípios que o regem. DEUS criou tudo 
através da palavra liberada e, por meio de 
um comando verbal, o que estava sem 
forma e vazio, transformou-se em algo com 
vida. Foram palavras de vida lançadas por 
Ele. “No princípio, criou DEUS os céus e a 
terra. E a terra era sem forma e vazia; e 
havia trevas sobre a face do abismo; e o 
ESPÍRITO de DEUS se movia sobre a face 
das águas. E disse DEUS: Haja luz. E houve 
luz.” (Gênesis 1:1-3)
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava 
com DEUS, e o Verbo era DEUS. Ele estava 
no princípio com DEUS. Todas as coisas
O Poder das suas Palavrasforam feitas por Ele, e sem Ele nada do que 
foi feito se fez.” (João 1:1-3). O verbo dá-
nos a idéia de uma palavra de ação, com 
capacidade de mudar totalmente o sentido 
de algo. JESUS representa o Verbo de 
DEUS e, através dEle, tudo se fez.
Palavras liberadas têm o poder de 
influenciar. DEUS deu ao homem 
autoridade nas suas palavras; autoridade 
essa que lhe permite abençoar ou 
amaldiçoar. Ao longo da bíblia, podemos 
ver quão sério é isso, pois são várias as 
orientações feitas pelo SENHOR quanto ao 
falar, visto que as palavras podem causar 
vida e morte. A palavra que sai da boca é 
uma forma do homem relacionar-se com o 
seu próximo, com o mundo espiritual e 
com DEUS, sendo um meio de ordenar 
fenômenos e idéias, uma forma de 
comunicação e um meio de obter domínio 
ou exercer influência, na forma de benção 
ou maldição. Não precisamos ir muito 
longe para notarmos o quanto as palavras 
exercem influência sobre circunstâncias 
ou pessoas. Programas de televisão sejam
de auditório, jornalísticos ou novelas, têm 
força influenciadora sobre o 
comportamento e opinião dos que os 
assistem. Por meio de palavras liberadas, 
podemos ser influenciados a mudar a 
nossa própria postura e opinião.
Selecionar aquilo que se ouve e assiste, 
determina a sua influência: programas de 
qualidade beneficiarão seu caráter, 
programas inúteis e cheios de 
malignidades, por sua vez, te 
prejudicarão e contaminarão, 
influenciando negativamente o seu 
caráter. Quando escutamos os cultos de 
nossa igreja, podemos ser influenciados, 
pois as palavras que fluem têm poder e 
autoridade de alimentar-nos 
espiritualmente; a idéia do sermão atingenos e leva-nos a mudar o nosso caráter 
de acordo com a vontade de DEUS. Todo 
pregador, então, ciente do poder que 
DEUS deu às suas palavras e tendo 
responsabilidade ao lidar com isso, deve 
deixar DEUS conduzir os cultos, afinal, 
uma palavra infeliz liberada do altar 
também pode influenciar negativamente o 
caminhar de alguém com CRISTO.
Podemos, também, ser influenciados por 
aulas assistidas na faculdade, em algum 
curso, nos pequenos grupos, pois as 
palavras lançadas pelos facilitadores 
possuem poder de transformação e 
persuasão. Para todos os casos citados
acima, as palavras podem ser boas ou
ruins. Toda a palavra pode ser expressa 
na forma de benção ou de maldição. 

Palavras 
liberadas 
tem o 
poder de 
influenciar.As palavras acionam o mundo 
espiritual. O mundo natural ou físico 
reflete os acontecimentos do mundo 
espiritual, por isso, as palavras que saem 
da nossa boca, boas ou más, acionam o 
mundo espiritual para realização de algo 
no físico ou natural. Elas têm poder de 
ligar e desligar fatos no mundo espiritual.
“Em verdade vos digo que tudo o que 
ligardes na terra será ligado no céu, e 
tudo o que desligardes na terra será 
desligado no céu.” (Mateus 18:18). Tendo 
em vista que nossas palavras têm o poder 
de ligar e desligar acontecimentos no 
mundo espiritual, por intermédio delas 
liberamos e também recolhemos palavras
do mundo espiritual. Por exemplo, vamos 
imaginar que uma pessoa lança a 
seguinte palavra sobre uma criança: 
“olha como ela é bonita, desse jeito, terá 
vários namorados, terá o homem que 
quiser aos seus pés, será tão desejada, 
que vai ficar rica com isso!”. Esse tipo de 
frase pode até parecer inocente e sem 
problemas, mas, a partir do momento 
que entendemos o funcionamento do 
mundo espiritual, essa frase tem o efeito 
de uma sentença de maldição sobre a 
criança. Se essas palavras não forem
quebradas e recolhidas das regiões 
 espirituais, haverá sobre essa vida uma maldição relacionada, entre outras 
coisas, à sensualidade, à prostituição, à 
promiscuidade, à vulgaridade. O nosso 
inimigo não respeita as boas intenções, 
não respeita nada, a não ser a autoridade 
espiritual constituída por DEUS.
Quando ele encontra palavras de 
maldição no mundo espiritual, usa essas 
mesmas palavras contra quem as falou e 
contra o alvo de tais palavras, sem 
jamais verificar a intenção daquele que 
as pronunciou: se boa, se má, se num 
momento de explosão, etc. Para uma 
palavra maldita liberada, faz-se 
necessário o seu recolhimento e a quebra 
do poder, para que satanás não tenha 
legalidade de usá-la. As palavras
recolhidas e sem efeito de ação, devem 
ser entregues nas mãos de DEUS, para 
que Ele dissipe-as.
Quebrar maldições e liberar bênçãos.
Para cada maldição quebrada, 
precisamos, em seguida, liberar uma 
palavra de benção. No exemplo dado 
anteriormente, podem os declarar que a 
menina realmente é bonita e sempre 
será; terá o melhor marido para ela, 
ambos serão prósperos e felizes, sempre
no centro da vontade de DEUS. Ao 
ligarmos uma palavra aqui no plano

Libere 
bênçãos
sobre sua 
vida 
através 
das 
palavras natural, ligamos também no plano 
espiritual, fazendo com que esse decreto 
retorne para o natural de forma concreta; 
ao desligarmos uma palavra aqui no plano 
físico, desligamos no espiritual, e a 
sentença não mais recai no mundo 
natural. Sendo assim, precisamos ligar as 
palavras de benção aqui na terra para que 
sejam ligadas no céu. Toda palavra 
liberada deixa a nossa boca “carregada de 
determinado poder”: benção ou maldição. 
Uma palavra bem colocada ou aplicada 
pode mudar; transformar e erguer uma 
vida, mas se esta for mal aplicada ou 
colocada, poderá mudá-la negativamente.
As palavras são matérias-primas. Tudo o 
que falamos é matéria-prima para o 
mundo espiritual, concedendo legalidade 
para que nossas palavras sejam pegas e 
usadas, uma vez que elas geram fatos,
acontecimentos em nossas vidas e na dos 
outros. Não é por menos que satanás briga 
tanto para ter o controle do nosso falar. 
Dessa forma, quando liberamos uma 
palavra de maldição, ela torna-se matériaprima no mundo espiritual, leva a 
maldição para aquele sobre quem a
proferimos e, ao mesmo tempo, atrai essa 
maldição sobre nós.
Não é diferente com a benção: ao
liberarmos uma palavra de benção, ela 
torna-se matéria-prima no mundo 
espiritual, leva a benção para aquele sobre 
quem a proferimos e, ao mesmo tempo, 
traz essa benção sobre nós. Atrairemos 
para nossa vida aquilo que liberarmos no 
mundo espiritual: benção ou maldição. 
“Nem no teu leito amaldiçoes o rei, nem 
tampouco no mais interior do teu quarto, o 
rico; porque as aves dos céus poderiam 
levar a tua voz, e o que tem asas daria 
notícias das tuas palavras.” (Eclesiastes 
10:20) 
”Abençoarei aos que te abençoarem, e 
amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar.”
(Gênesis 12:3). As palavras liberadas por 
nossas bocas trazem à existência no 
mundo natural aquilo que já existe, ou que 
acaba de existir, no mundo espiritual.
As palavras são sementes. Nossas 
palavras são como sementes no mundo 
espiritual; os anjos de DEUS e os demônios 
são como lavradores, que as pegam, 
plantam e aguardam a colheita.  “A morte e 
a vida estão no poder da língua; o que bem 
a utiliza come do seu fruto.” (Provérbio 
18:21). Quando um lavrador efetua o 
plantio, ele não retorna no mesmo dia com 
o fruto, e nem nos dias seguintes, pois 
toda semente tem um tempo para cultivo,
podendo esse tempo ser de um, dois, três 
meses ou até quase um ano inteiro. Da 
mesma forma ocorre no mundo espiritual
quando lançamos nossas palavras nele: se 
lançarmos sementes de benção, o fruto 
será de benção e se lançarmos sementes 
de maldição, os frutos serão de maldição; 
todos colhidos dentro de um determinado 
tempo no mundo espiritual. Portanto, se 
utilizarmos bem nossas palavras, 
saborearemos o fruto de vida que isso nos 
trará, por outro lado, se utilizarmos nossas 
palavras de forma ruim, experimentaremos 
um fruto amargo e podre.
Todos nós prestaremos contas a DEUS.
Temos uma grande responsabilidade 
diante de DEUS: prestar contas por toda 
palavra que sair da nossa boca. “Assim, 
pois, cada um de nós dará contas de si 
mesmo a DEUS.” (Romanos 14:12). “Digovos, pois, que de toda palavra frívola que os 
homens disserem, hão de dar conta no dia 
do juízo. Porque pelas tuas palavras serás 
justificado, e pelas tuas palavras serás 
condenado.” (Mateus 12:36 e 37). Tudo que 
falarmos em vida será exposto no dia da 
nossa prestação de contas diante de DEUS 
e nossas palavras O ajudarão a julgar-nos 
de forma justa e imparcial. Temos de 
considerar também nossos pensamentos, 
pois o problema não está somenteem lançar palavras no mundo espiritual. 
Embora somente DEUS conheça nossos 
pensamentos e satanás e seus demônios 
não possam lê-los, eles podem, porém, 
tentar adivinhá-los através de nossas 
reações diante das mais diversas 
situações. Sendo assim, quando 
pensamentos de maldição ocupam a 
nossa mente, não sendo repreendidos ou 
expulsos, passamos a alimentá-los e, em 
pouco tempo, o que estava somente na 
mente passa a ocupar tanto o coração, 
quanto a boca, sendo geradas palavras
ao mundo espiritual. É impossível uma 
pessoa permanecer somente com o 
pensamento contaminado sem que estes 
saiam em forma de palavras. “Nem no teu 
leito amaldiçoes o rei, nem tampouco no 
mais interior do teu quarto, o rico; porque 
as aves dos céus poderiam levar a tua 
voz, e o que tem asas daria notícias das 
tuas palavras.” (Eclesiastes 10:20).
O rei Salomão, o mais sábio que o mundo
já teve, instruiu-nos a não maldiçoarmos 
em hipótese alguma, seja em público ou 
no lugar mais reservado que há, onde 
homem nenhum tem acesso: no coração. 
Alertou-nos que as aves do céu e aqueles 
que têm asas trabalhariam sobre as 
nossas palavras, isto é, o mundo
espiritual e os anjos fariam e fazem com que nossas palavras sejam 
descobertas e ecoadas. Visto esta ser uma 
verdade espiritual, devemos zelar para que 
nossas palavras sejam sempre sementes 
férteis, para transformar situações, 
quebrar sentenças de maldições e decretar 
as bênçãos de DEUS.
As palavras revelam a nossa fé. As 
palavras que saem da boca funcionam 
como um termômetro da fé. Visto que a fé 
vem pelo escutar a palavra de DEUS,
quanto mais palavras abençoadas saírem 
da nossa boca, maior será a nossa fé e 
também a fé de quem está ouvindo. 
Quando escutamos um testemunho de 
cura, por exemplo, essas palavras geram 
em nós um aumento de fé. Imagine 
alguém que está com uma doença e 
escuta um testemunho de cura da mesma 
enfermidade que a dele; isso pode ser o 
ânimo que faltava para sua fé gerar a cura 
de DEUS. Se DEUS curou um, ele pode e 
quer curar tantos quantos estiverem 
necessitados.
Controlando a língua. Em virtude de 
todos esses fatos citados é que satanás 
briga para ter o controle de nossa boca e 
língua, sendo a língua um pequeno órgão
com capacidade de gerar grande impacto 
em nossa vida, exercendo controle sobre 

Éo nosso corpo. Quando conseguimos 
dominá-la, podemos perfeitamente 
dominar nosso corpo. Meus irmãos, 
muitos de vós não sejam mestres, 
sabendo que receberemos mais duro juízo. 
Porque todos tropeçamos em muitas 
coisas. Se alguém não tropeça em palavra, 
o tal varão é perfeito e poderoso para 
também refrear todo o corpo. Ora, nós 
pomos freio nas bocas dos cavalos, para 
que nos obedeçam; e conseguimos dirigir 
todo o seu corpo. Vede também as naus 
que, sendo tão grandes e levadas de
impetuosos ventos, se viram com um bem 
pequeno leme para onde quer a vontade 
daquele que as governa. Assim também a 
língua é um pequeno membro e gloria-se 
de grandes coisas. Vede quão grande 
bosque um pequeno fogo incendeia. A 
língua também é um fogo; como mundo de 
iniqüidade, a língua está posta entre os 
nossos membros, e contamina todo o 
corpo, e inflama o curso da natureza, e é 
inflamada pelo inferno. Porque toda a 
natureza, tanto bestas-feras como de aves, 
tanto de répteis como de animais do mar, se 
amansa e foi domada pela natureza humana; 
mas nenhum homem pode domar a língua. É 
um mal que não se pode refrear; está cheia de 
peçonha mortal. Com ela bendizemos a DEUS e 
Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, 
feitos à semelhança de DEUS: de uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus 
irmãos, não convém que isto se faça assim. 
Porventura, deita alguma fonte de um mesmo 
manancial água doce e água amargosa? Meus 
irmãos, pode também a figueira produzir 
azeitonas ou a videira, figos? Assim, tampouco 
pode uma fonte dar água salgada e doce. (Tiago 
3:1-12).
A língua foi criada para ser uma fonte de 
grandes bênçãos, mas influenciada pelo 
pecado, ela pode disseminar uma série de 
males. E para que o cristão domine 
verdadeiramente este órgão tão pequeno, é 
necessária uma vida de santidade diante de 
DEUS. Aquilo que nos influencia vai determinar 
como utilizaremos a nossa língua, visto sua 
utilização dar-se em função das influências que 
recebemos: o maligno pode influenciar-nos no 
mau uso da língua, gerando em nós o pecado. 
O ESPÍRITO SANTO, por outro lado, pode 
influenciar-nos no bom uso dela, gerando vida. 
Por exemplo: fofocar ou pregar do evangelho de 
JESUS? “Morte ou vida? Há tagarela cujas 
palavras ferem como espada; porém a língua 
dos sábios traz saúde.” (Provérbio12:18).
Da boca podem sair palavras que servem de 
remédio ou outras que são como uma arma: 
ferem e matam o próximo. O que deve sair de 
nossa boca? Remédio ou ferida? Vida ou morte? 
Edificação ou destruição? Benção ou maldição? 
Quem deve usar a nossa boca? DEUS ou 
satanás? Ao bendizermos, estamos permitindo 
que DEUS fale através de nós, mas, ao 
maldizermos, permitimos que satanás o faça.

back to top