Futuro cônjuge

Comentários
Futuro cônjugeAprenda a valorizar os questionamentos certos para agir com prudência
No meio secular e, principalmente, no meio evangélico existem muitos jovens com pretensão de se casarem, norteados pelos sonhos de viverem felizes para sempre como em conto de fadas. Por outro lado o número de divórcios vem aumentando excessivamente. Foram quase 10 mil processos somente no Estado de São Paulo no ano passado, conforme pesquisa divulgada no site globo.com. Esse dado foi captado após a alteração feita na Constituição que possibilitou acelerar o processo de separação judicial. Mas qual será a causa dessas frustrantes experiências?
Vivemos sob pressão da cultura o tempo todo, dificilmente conseguimos alcançar nossos objetivos sem sermos influenciados de alguma forma. Quando estamos solteiros, somos pressionados ao casamento; casamos, e logo vêm perguntas sobre os filhos; anunciamos o primogênito e, mais uma vez, somos questionados se daremos um irmãozinho. Isso nos leva a pensar se estamos sendo sábios em nossas decisões ou estamos mais preocupados em responder os questionamentos que nos são impostos.Na Palavra de Deus está escrito em Provérbios 9.10: “O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência.” Esse versículo nos revela que somos sábios em nossas escolhas quando estamos submissos à vontade de Deus, assim tomamos decisões prudentes. Ele é o nosso Criador, conhece o nosso viver, então por que não deixarmos nossas decisões nas mãos Dele? Nossa oração deve ser sempre, em qualquer situação: Senhor faça a Tua vontade, e não a minha. Sabemos que a escolha Dele será perfeita, boa e agradável.
A Bíblia nos adverte que “enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” (Jeremias 17.9.) Muitas vezes somos convencidos pelos nossos sentimentos, mas nem sempre eles podem ser a base determinante para a resposta final, dessa forma, corremos um grande risco de ter que colher frustrações. É necessário muito cuidado para não se envolver emocionalmente com uma pessoa e deixar de enxergar questões importantes, às vezes é melhor agir com a razão.O namoro é o período fundamental para conhecer seu futuro cônjuge, é hora de investir nas perguntas certas rumo ao alvo da decisão. É tempo de avaliar o caráter do outro em relação a seus familiares, provavelmente você receberá um tratamento parecido com o que é dedicado à família. É necessário abrir os olhos quanto aos defeitos dele (a) e saber até que ponto você suportará uma dificuldade.Depois de aceitar Jesus como nosso Senhor e Salvador, a escolha do cônjuge é uma das mais importantes que faremos. Portanto, sejamos sábios em deixar Deus ser soberano em todas as áreas do nosso viver e desfrutar alegremente a colheita de bons frutos em um casamento aliançado com os princípios de nosso Criador.
:: Renata Giori

back to top