Casamento é uma aliança espiritual

Comentários
Casamento é uma aliança espiritual realizado entre duas pessoas de sexo oposto, presenciado, testemunhado por DEUS e registrado no Céu. Não é um mero contrato, um documento, um pedaço de papel.
Divórcio é um instrumento civil, criado por autoridades humanas que não temiam à Palavra de DEUS.
Adultério é uma relação sexual ilícita de uma pessoa casada com outra pessoa, que não seja o seu cônjuge. É um pecado sexual que contamina a aliança matrimonial, mas não a desfaz. O adultério principia-se quando uma pessoa casada passa a desejar sexualmente outra pessoa, fora do casamento.
O divórcio (instrumento civil) não desfaz um casamento cristão (aliança espiritual). “O casamento que DEUS uniu e testemunhou não separe o homem” (Mateus 19:6). Portanto, quem está divorciado, longe do cônjuge, permanece casado (a) com ele (a), segundo a Palavra de DEUS, até a morte. Sim, segundo a Bíblia Sagrada, só a morte de um dos cônjuges desfaz a aliança espiritual, porque a união sexual entre ambos tornou-se impossível de realizar (Romanos 7:2-3 e 1 Cor. 7:39). Só existem três estados civis considerados por DEUS: solteiro, casado ou viúvo. Se você já está divorciado (a) e até o seu cônjuge já se casou no Civil com uma nova pessoa, saiba que o seu casamento não foi desfeito para DEUS, que seu cônjuge está escravo do adultério (ele (a) e quem estiver com ele (a)). Comporte-se como uma pessoa casada. Tenha essa fé. Aplique-a ao seu coração, ainda que a sociedade taxe isso como loucura. Mas não aceite nem esmoreça com aquilo que o diabo fez ou faz. Maior é O que está em você do que quem está no mundo.
Segundo casamento civil de uma pessoa divorciada, para DEUS, é adultério. Esse novo documento civil, para a Bíblia Sagrada, não desfaz o primeiro casamento, mas torna o cônjuge adúltero com a nova pessoa. Nenhum Juiz de Direito recebeu de DEUS a autoridade para apagar o pecado de adultério de ninguém. Nem Juiz de Direito nem liderança religiosa alguma. Só o Sangue Precioso de JESUS CRISTO apaga e anula os pecados de um pecador, desde que este se arrependa e abandone-os (“Aquele que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que confessa e deixa alcançará misericórdia”. Provérbios 28:13). Porém, quem não se arrepende, não renuncia, quem morre na prática do adultério, morre sentenciado ao inferno, segundo escreveu o apóstolo Paulo em 1 Coríntios 6:9-10.
Há pessoas que adulteram, arrependem-se e voltam à presença de DEUS. Há outras, no entanto, que vivem presas ao pecado do adultério, deleitando-se no prazer carnal ilícito, amargando a distância do Espírito Santo. Um cristão pode até cair, adulterar, mas não pode ficar prostrado, caído, escravo do pecado, pois em JESUS todo cristão foi liberto de qualquer pecado. “Se o Filho do Homem vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (João 8:36).
Se uma pessoa é casada licitamente aos olhos de DEUS com outra (primeiro casamento de ambos) e esta adultera, repudia e passa a se relacionar sexualmente com uma terceira pessoa, a pessoa repudiada deve perdoar, limpar o coração, compreender que isso é uma obra do maligno, que o casamento não foi desfeito pelo adultério, que o cônjuge está oprimido pelo diabo, que a repudiada (o) não pode se envolver sexualmente com uma nova pessoa (pois estaria também se tornando adúltera), mas antes deve orar, jejuar pelo cônjuge e esperar pela ação do Espírito Santo. Se o cônjuge opresso morrer, a pessoa repudiada estará livre por DEUS para se casar com uma pessoa cristã, se assim desejar. Mas só na morte.
Uma pessoa repudiada deve receber apoio, perfeita orientação, por parte de sua autoridade espiritual. Dizer a uma pessoa repudiada que o marido (ou esposa) dela não tem mais jeito, que ela deve arrumar outra pessoa é levá-la a caminhos de morte. DEUS não tem uma nova pessoa para você. Isso é profecia do diabo. DEUS te manda amar, suportar, perdoar, orar, jejuar e, sobretudo, esperar.
Um repudiado pelo cônjuge não deixou de fazer parte do corpo de CRISTO. Quem abandonou esse Corpo foi o adúltero (porque no Corpo de CRISTO não há lugar para adúlteros). Quando uma pessoa que viveu em adultério é liberta pelo Espírito Santo, o SENHOR DEUS devolve o mesmo lugar que essa pessoa ocupava antes de se tornar escravo do pecado. Ou, por acaso, DEUS diria a uma pessoa verdadeiramente arrependida: “Eu te perdoo, mas não te devolvo mais o seu lugar no Corpo do meu Filho JESUS?”. Será que DEUS daria um documento de divórcio, condenando-o ao inferno, a uma pessoa que adulterou e que permanece vivendo? Não é JESUS a esperança de redenção dessa pessoa e da restauração familiar? Por isso quem diz que perdoou e não deseja a restituição é porque não perdoou verdadeiramente e ainda não está na presença de DEUS. É preciso perdoar o outro, desejar a restauração. Quem não perdoa verdadeiramente, jamais receberá o perdão de DEUS (Mateus 6:14-15, Marcos 11:25-26).
Busque substituir a sua vontade humana pela vontade de DEUS, aprendendo a renunciar, a suportar a cruz. Só assim, teremos esperança de sermos herdeiros da glória de DEUS. Não se esquecendo de que JESUS afirmou que nem todos receberiam estes ensinamentos, mas só a quem fosse concedido (Mateus 19:11). Glória a DEUS! Você foi um escolhido (a) por DEUS para receber essa Verdade!
FERNANDO CÉSAR – Escritor, autor dos livros “Não Mude de religião: mude de vida!”, “Pódio da Graça”; “Antes que a Luz do Sol escureça” e da coleção “Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua o adultério antes que ele destrua seu casamento”, “Destrua a insubmissão antes que ela destrua seu casamento”. Também é pastor e líder do Ministério Restaurando Famílias para Cristo.

back to top