Existem muitas pessoas sufocando e negligenciando o casamento

Comentários
Pr. Claudio Duarte
“... Então respondeu o rei, e disse: Dai a esta o menino vivo, e de maneira nenhuma o mateis, porque esta é sua mãe. Rever conceitos, quebrar paradigmas, é um grande desafio viver em família.” I Reis 3.16-27
Essa história relata o dilema de duas mulheres que eram mães e prostitutas. Elas tinham muitas coisas em comum. Uma delasconseguiu levar sua família adiante, enquanto a outra acabou fracassando.

Quando o assunto é família é tudo igual e qual a diferença da família bem sucedida da fracassada?  É a maneira como as pessoas lidam com as intempéries.
A Bíblia diz  no livro de I Reis 3.16 a 27, que duas mulheres prostitutas tiveram filhos e numa noite, uma delas deitou sobre seu próprio filho o matando. Ela não matou porque quis, foi um acidente. Aquela mulher sufocou e matou seu filho por negligência, ela não tinha capacidade para lidar com um filho. Existem pessoas que entram no casamento, sem habilidade para tal.

Num casamento as pessoas não são iguais. Costumo acordar bem humorado todos os dias e ‘ligado na tomada’, minha esposa acorda parecendo que preferia ter morrido de madrugada a ter que acordar. Ela minha companheira, está comigo no ministério, mas somos diferentes. Não posso sufocá-la tentando fazer com que ela acorde à minha maneira. Existem pessoas por aí, sufocando seus cônjuges. 

No relato bíblico, as duas mulheres dormiam com seus filhos na cama, a diferença é que uma tinha habilidade para lidar com seu filho, a outra não. Aprendemos aqui uma lição: quanto maior a proximidade, maior a possibilidade de atrito. Ou vamos amamentar cuidar e zelar, para termos um casamento de sucesso, ou vamos sufocá-lo.
Para sabermos como não sufocarmos o outro, precisamos conhecer o sexo oposto.

Você já percebeu que:
Mulher gosta de proximidade, olho no olho. Comunicação no mundo feminino é áudio visual, as mulheres gostam de falar, e os homens casam e estacionam na frente da televisão. A mulher precisa do homem, para ouvir e para olhar. Já percebeu que mulher tem vontade de comer coisa que não sabe o que é? Nunca tente adivinhar o que uma mulher quer comer, se nem ela mesmo sabe, leve-a  numa praça de alimentação e deixe que ela mesma procure o quer comer. 

Existe uma coisa que sufoca muito os relacionamentos. A acusação e a cobrança. Você já parou pra pensar que para ganhar do outro lado, muitas vezes será necessário perder a razão? 
As pessoas de uma mesma família, geralmente não têm tolerância entre si. Os ânimos vivem exaltados, os defeitos são maximizados. 

E o homem?
O homem gosta de controlar. Desde pequeno aprende que tem que manter o controle da situação, que não pode chorar, porque homem não chora.  Essa característica muitas vezes prejudica os relacionamentos, ainda mais quando a mulher não é prudente. Imagine a seguinte situação; a torneira da pia da cozinha quebrou, a esposa pede várias vezes para o marido consertar, até que explode e diz: ”Já falei mais de cinco vezes que essa torneira tá quebrada, não tem homem nessa casa não?”
O cara até iria trocar a torneira, mas depois dessa, ela pirraça e não arruma. Seria mais viável para essa esposa dizer: “querido, a torneira está estragada, e não há uma outra pessoa que possa arrumá-la, somente você pode consertá-la, ou então pagar para que alguém conserte.” No instinto dominador do homem, ouvir a solicitação da segunda maneira, irá acioná-lo e fazer com que a torneira seja consertada. 

Você sabia que o elogio traz bons resultados?  Você diz para o seu marido que ele é lindo, forte...? E você homem, diz para sua esposa, que quanto mais o tempo passa, mais saborosa ela fica? Se sua esposa não está bonita, diga que está pela fé! Impulsione-a, diga a ela o quanto ela é importante pra você. Invista na sua mulher...
O grande segredo de uma família abençoada é amor e o amor faz com que pensemos no outro primeiro, antes de pensarmos em nós mesmos.  

Muita gente se casa, esperando que a outra as faça feliz. Espere pouco de você, nada dos outros, e tudo de Deus, você será bem sucedido. No mais, viva intensamente, fale que você o quanto você ama sua esposa (o), beije, abrace, pare de criticar, ver defeitos, viva a vida com mais humor e como se cada dia fosse o último. 

Mensagem ministrada no Congresso Aliança Radical
Edição: Renata G. Santana

back to top