O papel de um conselheiro

Comentários
Todos almejam ter a família restaurada. Sem dúvida, esse é o objetivo final e maior.
Mas para que isso aconteça de forma completa e eficaz, o cônjuge, que deseja essa restauração, precisa, antes, ter saúde espiritual, amadurecer, ser transformado, moldado, ajustado.
Aí entra o papel fundamental do conselheiro.
Um conselheiro cristão (um líder sobre o cônjuge) é uma pessoa levantada e capacitada por DEUS para guiar um povo em um deserto.
É através dele que o (a) repudiado (a) reconquistará a saúde espiritual, criará vínculo forte, mudará o foco, deixará de se preocupar com o marido ou a esposa opressa.
Quando tiramos o nosso foco do cônjuge opresso e o direcionamos para o nosso conselheiro fiel, amigo e confidente, lançamos para o mar do esquecimento nossas perturbações, nossos medos, nossas ansiedades, dúvidas e preocupações. Esses são elementos que atrapalham o agir de DEUS na vida do cônjuge opresso. Enquanto você estiver com algum desses ingredientes, mais tua vitória estará distante.
Além do mais, você não está no deserto sem propósitos. Você deve fazer do seu deserto uma escola, um momento de aprendizado, de mudanças, de transformação; e não um vale de lágrimas, dor e sofrimento. Qual dos dois desertos você tem vivido?
Se não ocorre mudança de atitudes e no caráter, e o casamento é restaurado (o cônjuge volta para casa), com o tempo, velhos problemas surgirão novamente e outra separação torna-se mais viável.
Quando uma pessoa está no deserto sendo cuidada por um conselheiro preparado por DEUS e chega a sentir tristeza, ela sabe a quem procurar, a quem recorrer, tem com quem desabafar. Essa pessoa saberá que não estará sozinha. Ela receberá uma palavra de ânimo, de renovo, de esperança, oração, enfim, será realimentada novamente para prosseguir a caminhada.
Observe que quando uma pessoa fica sozinha no deserto sem nenhum conselheiro, a tristeza, o desânimo, a depressão vêm com mais frequência. O diabo entra com mais facilidade na vida de uma pessoa altamente fragilizada emocional e espiritualmente.
Por isso, rejeite as coisas ruins. Tenha muita fé, mas não deixe de ser sábio (a), unindo-se a um conselheiro cristão, um líder sobre a sua vida, que te ajudará e te sustentará em teu deserto.
As tristezas constantes abalam a fé; e com a fé abalada, uma pessoa tende a desistir. Desistindo, o caminho natural é o pecado.
Pense nisso!
Em CRISTO,

back to top